top of page
Logo_trip4eat.png

Quem mais beneficia do consumo regular de alimentos fermentados?

Atualizado: 15 de jun.

Artigo escrito por:

Isabel Marques, farmacêutica especialista em farmácia comunitária, pós-graduada em integrative medicines e homeopathie pelo CEDH -FR, concluiu recentemente o curso de iniciação à modulação hormonal, do grupo de estudos em medicina anti-envelhecimento GEMAE presidido pela Dra. Ivone Mirpuri, Dr. Rodrigo Ayoub e pelo Dr. Rui Ribas


A inclusão dos alimentos fermentados insere-se dentro de um dos pilares da medicina para o envelhecimento saudável: Nutrição, Suplementação, Exercício físico, Hábitos de vida e Modulação hormonal.


É do senso comum que a consistência de um hábito leva a grandes resultados a longo prazo. Razão pela qual, a melhor forma e mais natural, de consumo de probióticos que vão nutrir o nosso microbioma passa pela introdução no nosso dia-a-dia de alimentos fermentados.


Talvez porque este tema está tão presente no meu dia-a-dia, enquanto farmacêutica comunitária, e enquanto mulher, que elenco como o número 1 de indivíduos que mais beneficia do consumo de alimentos fermentados, são:


  1. Mulheres na perimenopausa e menopausa


Nesta fase as senhoras experienciam sintomas como: digestões mais difíceis, intestino preguiçoso, maior sensibilidade a infecções vaginais, alterações no metabolismo (engordam sem haver um aporte alimentar que o justifique), stress, dores articulares, alteração do sono, da libido, ansiedade, depressão, confusão mental, cansaço, entre outros …


O papel do intestino nesta fase da vida é fundamental! Um microbioma equilibrado vai ter a capacidade de modulação e adaptação às flutuações hormonais, produzindo por exemplo mais das vitaminas e neurotransmissores necessárias ao equilibrio do organismo.


2.  Homens e Mulheres com síndrome metabólico


Excesso de peso, muito apetite, valores analíticos que indicam excesso de glucose no sangue, colesterol e triglicerideos elevados, aumento do volume abdominal, ficado gordo… estes são os principais sinais do síndrome metabólico generalizado.


As más digestões são responsáveis pelo inchaço abdominal e maior produção de gás.

A fibra naturalmente presente nos alimentos fermentados, de origem vegetal contribui para alimentar e manter o microbioma saudável e capaz de digerir corretamente os alimentos.


Muito importante é também referir sobre importância de um intestino saudável para o funcionamento da tiroide. É no intestino que acontecem importantes mecanismos de conversão de hormonas tiroideias da forma inactiva para a forma activa. Se o intestino não estiver bem, essa conversão não se faz, o que leva a um mau funcionamento da tiróide: a glândula que controla muitos e importantes sistemas de regulação corporal, por exemplo o metabolismo corporal, a temperatura, o sono, as defesas imunitárias, os batimentos cardíacos, a sensação de sede, velocidade de pensamentos…


A fibra consegue também atrasar a absorção dos açucares no intestino, evitando o pico de insulina consequente, e que a longo prazo, levaria a resistência insulínica - que está na génese de várias patologias inflamatórias.


A somar à fibra está a diversidade das espécies que naturalmente habitam em vegetais crus que consumimos, e que contribui para a qualidade do microbioma.


3. Para quem sofre de Stress, cansaço e alteração do humor


Existe comunicação direta entre o intestino ( o chamado segundo-cérebro) e o cérebro.

É no intestino que se produzem a maior parte dos neurotransmissores: por exemplo 80% de toda a serotonina - a hormona da felicidade, produzida no nosso organismo dá -se no intestino.


Para que isso seja possível tem que haver o substrato - alimentos orgânicos, e os “operadores” que fabricam o neurotransmissores, o microbioma competente.

Após o fabrico o neurotransmissor migra através de canais próprios para o cérebro.


4. Para quem está cansado de tomar suplementos vitaminemos que parecem não dar resultado


É no intestino que se dá a absorção e fabrico da maior parte das vitaminas e minerais. Sem as condições adequadas ( ph, cofactores enzimaticos, conversão noutros metabolitos) isso não acontece. O microbioma também é responsável por reestabelecer a membrana intestinal que protege o nosso organismo de ser invadido por agentes agressores (bacterias, fungos, toxinas).


Sem uma microbiota equilibrada podem existir carencia de vitaminas e minerais, mesmo com a ingestão regular da mesma por via alimentar ou toma de suplementos.


5. Para quem faz jejum prolongado ou intermitente


Uma das técnicas de desintoxicação e reparação do organismo consiste no jejum

Aqui é fundamental que os alimentos ingeridos na “quebra” do jejum optimizem o processo de reparação para resultados optimizados.


Os vegetais e os alimentos fermentados carregados de probióticos são dois dos melhores alimentos para esse objectivo. E se for dois em um tanto melhor!!




6. Alimentos orgânicos


Todos sabemos o que a poluição e as toxinas podem fazer de mal no nosso organismo.

A toxicidade que nos rodeia é um dos grande factores geradores de doença.


Torna-se fundamental consumir tanto quanto possível alimentos orgânicos, isentos de pesticidas, hormonas, antibióticos etc…


É também fundamental preservar ao máximo a integralidade dos alimentos, preservando ao máximo as suas propriedades benéficas, e facilitando a absorção das mesmas.


Não esquecer que também nós produzimos toxinas, quando vemos as coisas que nos acontecem na vida apenas pelo lado mau, tendo demasiados pensamentos negativos.


Optar por um olhar positivo sobre a vida e como podemos controlar apenas o que está ao nosso alcance, traz leveza e tranquilidade. Aproveite e dedique um pouco do seu tempo a cuidar mais da sua saúde, selecionando muito bem o que vai colocar dentro do seu corpo, e cozinhar com amor e muito sabor…



Sugestões de leitura complementar para continuar a explorar em detalhe este tema:

 

Nota


A informação partilhada é estritamente informativa e não substitui o aconselhamento e a orientação por parte de profissionais de saúde.Todos os benefícios de saúde associados ao consumo de alimentos fermentados e probióticos naturais, em especial no funcionamento do intestino variam de pessoa para pessoa. O consumo de alimentos fermentados deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.




WE LOVE FOOD



84 visualizações

Comments


bottom of page